Pneumologia terá novos procedimentos reconhecidos pela CBHPM.

Ecobroncoscopia com punção aspirativa (EBUS-TBNA) e Tomografia por Impedância Elétrica (TIE) serão incluídos na próxima edição da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM). A SBPT agradece ao Diretor de Defesa Profissional, Dr. José Eduardo Delfini Cançado, pela luta por esta conquista.

A Sociedade também parabeniza os pneumologistas e professores Marcelo Britto Passos Amato e Viviane Rossi Figueiredo pela apresentação diante da Câmara Técnica da Associação Médica Brasileira (AMB) que culminou na incorporação de procedimentos importantes na próxima edição da CBHPM, a ser lançada ainda este ano.

A Ecobroncoscopia com punção aspirativa (EBUS-TBNA) permite a avaliação endoscópica das vias aéreas ao mesmo tempo que realiza imagens ultrassonográficas das estruturas mediastinais e hilares (além da parede traqueal e brônquica). Permite, em tempo real, a punção aspirativa com agulha para coleta de material diagnóstico de linfonodos e lesões mediastinais e hilares. O procedimento é seguro, rápido e o paciente geralmente é liberado no mesmo dia.
Já a Tomografia por Impedância Elétrica (TIE) é uma nova tecnologia de imagem que permite um diagnóstico de afecções pulmonares à beira do leito e em tempo real.

A TIE oferece algumas vantagens, principalmente no ambiente de UTI e centro cirúrgico, a despeito de sua menor resolução espacial quando comparada à tomografia computadorizada. É um método não invasivo, dispensando radiação ionizante, e que pode evitar o perigoso transporte do paciente até o centro de radiologia.

O procedimento produz imagens funcionais, à semelhança do SPECT, mas com maior resolução temporal, assim fornecendo importantes informações sobre a distribuição da ventilação e perfusão pulmonar.

O método foi validado e tem sido utilizado para observar o posicionamento do tubo traqueal, para ajustes do ventilador mecânico em casos de lesão pulmonar aguda (otimizando o uso de estratégias protetoras), para o diagnóstico em tempo real de pneumotórax ou atelectasias, para a detecção de alterações grosseiras da perfusão pulmonar, incluindo tromboembolismo, e para o diagnóstico de hiperinsuflação dinâmica ou ocorrência de Pendelluft (enchimento patológico e assincrônico do parênquima pulmonar).