Fechar

Busca no site:

Índice compara preços de cigarro ao redor do mundo

O Centro de Apoio ao Tabagista, do Instituto de Doenças do Tórax da Universidade Federal do Rio de Janeiro, divulgou uma lista que compara os preços da marca de cigarro mais vendida atualmente entre as capitais mundiais. 

Índice Anual toma como referência a marca Marlboro, por ser a mais vendida internacionalmente. O Rio de Janeiro aparece como o 22º lugar mais barato, onde o maço é vendido a R$ 8,00.

O Índice inclui 100 países. A maioria deles assinou e ratificou a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT), primeiro tratado internacional vinculante sobre saúde pública da Organização Mundial da Saúde (OMS). Até julho de 2017, 168 países assinaram a CQCT e 181 a ratificaram. 

O Brasil tem um dos preços mais baixos de maços de Marlboro e aparece em 78º lugar na lista. Os países mais desenvolvidos, como os da Oceania, se destacam entre os mais rigorosos: Austrália (1°) e Nova Zelândia (2°). O Marlboro australiano chega a custar 10 vezes mais do que o brasileiro.

De acordo com a OMS, a precificação baixa gera prejuízos para o controle do tabaco no país, porque facilita o acesso ao produto, sobretudo para os jovens e a população mais pobre. 

“De todas as medidas preconizadas para a redução do consumo e queda da entrada de jovens, nenhuma se compara ao aumento dos preços. A interferência da indústria da nicotina sobre as políticas públicas é o maior obstáculo para reduzir os números devastadores da pandemia do tabagismo. Essa indústria segue pressionando as autoridades brasileiras pela baixa nos impostos. Apesar de estar sendo acusada de práticas ilegais de contrabando mundo afora, a indústria no Brasil tem o desplante de usar o argumento do cigarro ilícito para evitar a melhor medida de controle”, observa o Dr. Alexandre Milagres, do Centro de Apoio ao Tabagista (CAT).

O texto lembra, ainda, que morrem quase 500 pessoas por dia por doenças relacionadas ao uso do tabaco. Os dados mostram que há um aumento recente da experimentação por adolescentes. Além disso, o custo do tabagismo para a saúde supera em mais de quatro vezes o que é arrecadado com o produto.


Fonte: Centro de Apoio ao Tabagista (CAT) – Dr. Alexandre Milagres – centrodeapoioaotabagista@cigarro.med.br