Notas e Notícias

12.04.2017


 

22.03.2017
Parceria Brasileira Contra a Tuberculose – Stop TB Brasil


Carta aberta a população alusiva ao Dia Mundial de Luta Contra a Tuberculose – 24 de março 2017.

Quando os países celebram o Dia Mundial da Tuberculose em 24 de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) convoca “solidariedade e ação global” para apoiar uma nova estratégia de 20 anos, que tem como objetivo acabar com a epidemia global de tuberculose.

Leia aqui a carta na íntegra.

 

20.03.2017
Celebrando o Dia Mundial da Tuberculose


Em comemoração ao Dia Mundial da Tuberculose, no próximo dia 24 de março o Cristo Redentor no Rio de Janeiro, será iluminado durante uma hora.

A Arquidiocese do Rio se manifestou a favor da celebração e autorizou que o monumento fosse iluminado naquela data. A estátua ficará colorida durante o horário das 18:00 e 19:00, nas cores vermelha e azul.

A iniciativa tem o apoio da SBPT, em conjunto com o PNCT-MS e a Organização Mundial da Saúde.

 

18.01.2017
Nota pública contra a retirada de indicadores da tuberculose nas pactuações do SUS


A Comissão de Tuberculose da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, vem a público manifestar-se contrária à retirada dos indicadores da tuberculose nas pactuações do SUS. Na Resolução Tripartite nº 08, de 24 de novembro de 2016, que dispõe sobre o processo de pactuação interfederativa de indicadores para o período 2017-2021, relacionados às prioridades nacionais em saúde com os Municípios e os Estados, a tuberculose não consta mais como um dos indicadores (http://portalsaude.saude.gov.br).

A tuberculose está entre as 10 principais causas de morte no mundo e, desde 2015, é a principal causa de morte por doenças infecciosas, superando o HIV/AIDS. Em 2015, 10,4 milhões de novos casos foram registrados no mundo, sendo 5,9 milhões em homens, 3,5 milhões em mulheres e 1 milhão em crianças. Ainda, segundo a Organização Mundial da Saúde, 1,8 milhão de pessoas morreram vítimas dessa doença, 300 mil a mais que no ano anterior. O Brasil está na lista dos 22 países que contribuem para 80% dos casos de tuberculose no mundo. Apesar de ser uma doença curável e com tratamento disponível gratuitamente, a cada ano, são notificados 70 mil casos novos e 4,6 mil óbitos por tuberculose no Brasil.

Assim, considerando a gravidade da situação da tuberculose e os importantes avanços obtidos pelo país no controle da doença na última década, julgamos que a retirada dos indicadores da tuberculose nas pactuações do SUS seria um retrocesso. Esperamos que a Resolução Tripartite nº 8 seja revista e que volte a incorporar os indicadores da tuberculose.

 

18.11.2016
Novo inquérito para o Controle da Tuberculose


Na 47ª reunião da Union, vários simpósios e workshops referiram-se à medição das concentrações de fármacos anti-TB como instrumento para detectar a baixa exposição às drogas e as interações medicamentosas. Populações específicas de doentes, como os doentes coinfectados TB-HIV, doentes com diabetes e doentes em geral, que não respondem ao tratamento (sem conversão de cultura de escarro na semana 8) foram sugeridas para se beneficiarem da medição de concentrações de fármacos anti-TB ou “monitorização terapêutica de fármacos”.
Neste momento, não há informação, em nível global, de como está a utilização da “monitorização terapêutica de fármacos” (MTF) e onde estariam situados os laboratórios que poderiam realizar estes ensaios. Para obter uma melhor noção da distribuição global de MTF, desenvolvemos esta pesquisa.

Pedimos gentilmente que divulgue esta iniciativa também entre a sua rede profissional (colegas, amigos, parceiros envolvidos no campo da TB).

Para impulsionar melhores pesquisas em MTF, estamos convidando você para participar de uma pesquisa sobre sua experiência atual em MTF de medicamentos anti-TB e aceitação desta ferramenta para o tratamento da TB.

A pesquisa pode ser feita no seguinte link: https://docs.google.com/forms/d/11Y2vr4K2ocZgkcB8MziYlpvW6aqvlkmFFt3MICei7PA/

A pesquisa levará cerca de 10 a 15 minutos para ser concluída. Agradecemos seu tempo para compartilhar suas opiniões sobre informações cruciais na MTF.

Agradecemos a participação no inquérito.

 

24.03.2016
Dia Mundial da Tuberculose


Orientações com relação à Tuberculose:

1. – A Tuberculose é uma doença infecciosa que sempre existiu no Brasil. Pode acometer diferentes órgãos, mas a forma pulmonar é a mais freqüente.
2. – A Tuberculose Pulmonar é uma doença transmissível por via aérea (pela tosse, pela fala, pelo espirro). Não é necessário separar talheres, copos, roupas e lençóis.
3. – Quando houver tosse por 3 semanas ou mais, deve-se procurar o serviço de saúde. Pode ser Tuberculose Pulmonar.
4. – A Tuberculose tem cura, mas deve ser feito o tratamento correto, e pelo tempo MINIMO de 6 meses
5. – O tratamento é gratuito, e tem que ser feito no serviço público.
6. – A interrupção indevida do tratamento, ou o seu uso irregular, impedem a cura, e podem até levar à morte.
7. – Com o tratamento correto, após 15 dias, o risco de contaminar outra pessoa é reduzido de forma significativa, considerando a população geral.
8. – Não deve haver ingestão de álcool durante o tratamento, devido ao risco de complicações para o fígado.
9. – Uso de álcool e tabagismo são hábitos que aumentam a chance de ter a doença.
10. – A Tuberculose também pode estar associada à Infecção pelo HIV/Aids.
11. – Recomenda-se que os contatos de um caso de Tuberculose Pulmonar, principalmente os familiares dentro do próprio domicílio, procurem o sistema de saúde. Em alguns casos, podem estar doentes também, ou podem necessitar do uso de um medicamento para não adoecerem.

17.06.2015
Highlights ATS 2015


Um dos estudos apresentados foi A New Phase 3 Treatment–Shortening Trial: TBTC Study 31 (4 Months of High-Dose Rifapentine). Este estudo pretende incluir 2500 participantes, em 25 a 30 sites, e irá comparar três braços de tratamento: 1º braço: 2PHZE/2PH (P:rifapentina; H:isoniazida; Z:pirazinamida; E:etambutol) – 17 semanas; 2º braço: 2PHZM/2PHM (M:moxifloxacina) – 17 semanas; 3º braço: 2RHZE/4RH (R:rifampicina) – 26 semanas. Serão incluídos pacientes com suspeita de TB, ≥ 12 anos. Se HIV positivos, com CD4 ≥ 100. Já foi aprovado pelo Comitê de Ética local, com plano do início do recrutamento em julho/agosto de 2015.

Outro estudo relatado foi TBTC Study 33: Self-Administered vs. DOT for LTBI Using the 12-Dose 3HP Regimen, que incluiu 1002 pacientes entre setembro de 2012 e abril de 2014, com sites em quatro países. Foi um estudo randomizado, aberto, de fase IV, cujo objetivo era avaliar a aderência ao tratamento da TB latente comparando o tratamento diretamente observado (TDO) com o tratamento auto-administrado (TAA). Os pacientes poderiam ou não receber lembretes através de SMS. Os resultados preliminares mostram que não houve diferenças nos dados demográficos e a amostra de pacientes constituiu-se de 48,1% do sexo feminino, com média de idade de 36 anos, e 1,1% de HIV positivos; 87% do grupo do TDO e 74% do grupo do tratamento auto-administrado completaram o tratamento. Não houve diferenças significativas nos efeitos adversos entre os tratamentos (TDO vs TAA).

Na sessão Clinical Year in Review , foram apresentadas revisões comentadas de publicações importantes do último ano. Foram apresentados alguns artigos sobre o tratamento das MNT (micobacterioses não-tuberculose):

1) Wallace RJ et al. Macrolide/Azalide therapy for nodular/bronchiectatic mycobacterium avium complex lung disease. Chest 2014;146(2):276-82.

Resumo: Em uma grande análise retrospectivo, 180 pacientes com doença pulmonar nodular/bronquiectásica por MAC que haviam completado mais de 12 meses de tratamento foram avaliados quanto à resposta a regimes de tratamento diários ou três vezes por semana, contendo rifampicina ou rifabutina, etambutol e um macrolídeo (claritromicina ou azitromicina). A conversão da cultura do escarro ocorreu em 84% dos pacientes. Após o término do tratamento, 74 de 155 pacientes (48%) tiveram recorrência microbiológica (a maioria com reinfecção e não recidiva). Não foram observadas diferenças nos desfechos entre os regimes que continham claritromicina e azitromicina. As modificações no regime de tratamento foram mais frequentes com o tratamento diário do que com aquele realizado três vezes por semana.

Comentários: 1. A maioria dos pacientes tem bons desfechos com os regimes de tratamento baseados nos guidelines para doença pulmonar nodular/bronquiectásica por MAC. 2. Reinfecção com uma cepa de MAC genotipicamente diferente pode ser mais comum do que a verdadeira recidiva em indivíduos com recorrência após a conversão da cultura.

2) Olivier KN et al. Inhaled amikacin for treatment of refractory pulmonary nontuberculous mycobacterial disease. Ann Am Thorac Soc 2014;11:30-35.

Resumo: Este estudo avaliou a eficácia do sulfato de amicacina nebulizado em 20 indivíduos (2 dos quais tinham fibrose cística) cronicamente infectados com o complexo M.avium  (n=5) ou M.abscessus (n=15). No recrutamento, os participantes recebiam uma média de 60 meses de tratamento baseado nos guidelines da ATS, mas permaneciam com a cultura positiva e, em 90% dos casos, com a baciloscopia positiva para MNT. Amicacina foi misturada com solução salina e dada através de um nebulizador a jato para inalação, com titulação de dose de 250 mg uma vez ao dia até o máximo de 500 mg duas vezes ao dia. Os participantes foram seguidos por uma média de 19 meses. Durante o tratamento com amicacina, 5 dos 20 pacientes ficaram com a cultura persistentemente negativa e outros 9 pacientes mostraram uma redução na quantidade da baciloscopia. Os escores de sintomas melhoraram em 9 pacientes, ficaram inalterados em 3 e pioraram em 11 pacientes. Sete pacientes pararam o tratamento devido à ototoxicidade, vertigem, nefrotoxicidade, hemoptise ou disfonia.

Comentários: 1. Amicacina nebulizada pode ser efetiva em alguns indivíduos com doença pulmonar por MNT refratária ao tratamento. 2. Toxicidade com amicacina nebulizada foi comum.

 

16.03.2015
Dia 24 de Março – Dia Mundial de Combate à Tuberculose.


Documento preparado pela Comissão de Tuberculose para divulgação desta data e da conscientização do problema da Tuberculose no mundo. Veja aqui o documento e ajude a divulgar este dia.